Uruguaios envolvidos na briga com torcedores do Flamengo são denunciados pelo MP

15 de abril de 2019 Por: Peter Jordan
9

Após quase duas semanas do ocorrido, o Ministério Público do Rio de Janeiro, através do Gaedest (Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor), decidiu denunciar os três uruguaios que ainda estão presos na penitenciária de Benfica, na Zona Norte do Rio. 

Dennis Oscar Viega, Fernando Segundo Carreno e Gianfranco Steffano Cattapan, foram denunciados nos artigos 41-B do Estatuto do Torcedor, além dos 129 e 329 do Código Penal. As penas podem chegar a sete anos de prisão e dois de detenção, não necessariamente em regime fechado.

O tumulto começou quando um ônibus de torcedores do Flamengo, vindo do Espírito Santo, deu uma parada na praia do Leme, na Zona Sul do Rio. Porém, esse mesmo local foi onde a polícia marcou para escoltar os uruguaios até o Maracanã, onde aconteceria a partida. Torcedores de Flamengo e Peñarol se envolveram em uma confusão generalizada. Vídeos da pancadaria viralizaram rapidamente pelas redes sociais.

A PMRJ deteve 40 torcedores do Peñarol para o Juizado Especial Criminal, no Maracanã. Nessa confusão, um torcedor do Flamengo, de 60 anos, identificado como Roberto Almeida, levou uma garrafada na cabeça e está internado no hospital Miguel Couto, no Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Confira a nota publicada pelo MP-Rj na íntegra:

“O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor (GAEDEST/MPRJ), apresentou, na sexta-feira (12/04), denúncia contra três torcedores uruguaios acusados de terem agredido Roberto Vieira de Almeida, torcedor rubro-negro, em 3 de abril último. A agressão, amplamente noticiada pela imprensa, ocorreu por volta de 17 horas, na Avenida Atlântica, em frente ao restaurante La Fiorentina, no Leme, antes do jogo entre Flamengo e Peñarol válido pela Taça Libertadores da América de 2019. Na ocasião, inúmeros torcedores do Peñarol entraram em confronto com um reduzido número de rubro-negros vindos do estado do Espírito Santo, que pararam para visitar a praia. Foram denunciados Dennis Oscar Viega Gonzalez, Fernando Segundo Carreno Tucce e Gianfranco Steffano Cattapan Flores, que se encontram todos presos preventivamente, à disposição do Juizado Adjunto do Torcedor e dos Grandes Eventos.

Na denúncia, assinada pelo promotor Celso de Andrade Loureiro, o GAEDEST/MPRJ aponta que os três denunciados, de forma livre e consciente, promoveram tumulto, praticaram e incitaram a violência durante o trajeto de ida ao local de realização do citado evento esportivo (Estádio do Maracanã), tendo desferido golpes com garrafa e cadeiras, chutes e socos contra o torcedor adversário, causando-lhe lesões corporais ao menos de natureza grave. Tanto que Roberto ainda segue internado no Hospital Miguel Couto, em coma induzido e tendo já sido submetido a procedimento cirúrgico, em função de traumatismo craniano.

Pelos atos descritos, estão os denunciados incursos nas sanções dos artigos 41-B, §1º, inciso I, da Lei nº 10.671/03 (Estatuto do Torcedor, com reclusão de um a dois anos e multa), 129, §1º, inciso II, e 329, ambos do Código Penal, todos na forma do artigo 69 do mesmo diploma.”


 

Veja também

Categorias

Siga-nos